sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Sobre a viagem - parte II (Viena)

Soneca em Frankfurt. Dá-lhe Lufthansa!
Depois de umas três horas de espera em Frankfurt e mais um pouquinho de avião, chegamos finalmente a Viena. Exaustos. Nossos planos: tomar um bom banho, comer qualquer coisa ali por perto e dormir o sono dos justos - inclusive porque, já na manhã seguinte, partiríamos pra Salzburg.

Pois bem, estava eu me preparando pro meu banho quando ouvi um barulho estranho no corredor.
-Mãe, você ouviu isso?
-Parece que estão falando alguma coisa, vai lá fora ver.

Abri a porta e pude entender o que dizia o alto-falante: "Achtung, achtung: Dies ist der Brandmeldeanlage. Attention, attention: this is the fire alarm". Fiquei na dúvida se seria incêndio mesmo ou só um treinamento, sei lá. Em todo caso, pegamos o essencial (documentos, objetos de valor... no caso da minha prima, um par de chinelos Havaianas) e descemos pelas escadas até o andar em que estavam meu primo e minha tia. E cadê minha tia?
-Ela subiu pro andar de vocês pra levar algo pra Bea e ainda não voltou.
-Ué, mas no meu quarto ela não apareceu...

Enquanto minha mãe foi procurar minha tia, os outros descemos até a saída de emergência, que dava na rua. Atravessamos e ficamos que nem bobos olhando pra cima, pra ver se descobríamos o que estava acontecendo. Devia ser sério mesmo, o carro de bombeiros luminoso ainda estava ali na porta, embora não houvesse sinais de agitação. Perguntamos daqui, perguntamos dali, ninguém sabia. Minha mãe e minha tia não deram nem sinal. Depois de certo tempo, seguimos o fluxo de volta pro hotel, e a recepcionista nos disse que tinha sido só um alarme falso.

De volta ao quarto, lá estava minha tia, que logo apontou um dedo acusatório pra minha prima.:
-Foi culpa sua!
-Culpa minha?
-É! Por culpa sua eu apertei o alarme de incêndio!
-Não acredito... Foi você que apertou? Hahahahaha
-Eu fui levar estas roupas pra você, e como era só um andar eu fui de escada, mas fiquei presa. Todas as portas que eu encontrei estavam trancadas, eu fiquei apavorada e não consegui chamar ninguém. Então eu vi um botão "Emergência" e apertei, ué.

Nada mais justo, todos concordamos - e saímos pra comer um toast de presunto e queijo Gouda (num lugar em que ninguém entendia o que era mustard, mas trouxeram uma maionese divina) e a famosa e deliciosa Sachertorte.

O problema é que o alarme de incêndio acionava automaticamente os bombeiros - que, apesar de terem achado muita graça na história, cobrariam uma multa pesada do hotel pelo alarme falso. E o hotel, é claro, repassou a exorbitância de 400 de multa pra gente. Protestamos: o caso foi emergencial (e não uma brincadeira) e em momento algum fomos avisados de que as portas nas escadas só se abriam com o cartão que abre a porta do quarto. Não pagaríamos aquilo, pelo menos não sozinhos.

Discute daqui, discute dali, reveza telefone pra argumentar com a recepcionista (já que não havia gerente nem ninguém com um mínimo poder de decisão pra resolver esse problema), e a noite ia avançando... E tudo o que eu queria era dormir, meldels!

(foto especialmente pra Bombs)
Encurtando a história: na manhã seguinte (quando finalmente apareceu alguém da gerência), acabamos concordando em pagar a multa, ainda que contrariados, porque vimos que não haveria negociação alguma e precisávamos seguir viagem. Fiz uma reclamação formal ao hotel, dizendo que passamos por uma situação desagradável seguida de constrangimento, e que em nenhum momento recebemos qualquer tipo de orientação ou apoio por parte da equipe deles - que, inclusive, ameaçou chamar a polícia diante da recusa civilizada em pagar uma dívida que não era de nossa responsabilidade.


Claro que a minha reclamação nunca deve chegar a lugar nenhum - mas fica aqui registrada minha indignação. E uma dica: não use as escadas de emergência do hotel InterCity, em Viena. E não aperte nenhum botão, sob nenhuma hipótese.



2 comentários:

Anônimo disse...

Eu sei sobre não apertar botões desde O Laboratório de Dexter. A DeeDee aparecia do nada, saltitante e serelépica, apertava algum botão e deixava o pobre Dexter lidar com alguma catástrofe de nível mundial. Lição: nunca aperte botões, principalmente os vermelhos, bonitos e grandes.

Espero ansiosa o resto da saga =P

Meg / Bombs disse...

Aaaaai mt errado isso! [fazer vcs pagarem] Eu teria apertado o botão! hahahahah ao menos q ele fosse vermelho... era vermelho? Aliás, eu certamente teria subido de escada. E entrado em desespero. E processado o hotel pela minha claustrofobia!
Mas só de ver os bombeiros já valeu taaaanto a pena, né? Bombeiros internacionais! *-* hahahaha