quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Sobre o Repeat Mode

Às vezes eu acho que minha vida está em Repeat Mode: ON.
E, nessa situação, rondam minha cabeça muitas, muitas músicas. Algumas que também estão no repeat há muito tempo, aparecendo de novo e de novo com muitos sentimentos. E outras que, ouvidas novamente, ganharam um sentido novo que se aplica a situações já antigas (e quem sabe persistentes).
Compilo aqui os pedaços mais significativos, no momento, com os links de vídeos pra dar uma dimensão da emoção que as músicas e interpretações transmitem.

"Você me tem fácil demais
E não parece capaz
De cuidar do que possui"
(Nada por mim - Herbert Vianna/Paula Toller)

"Me diz por onde você me prende
Por onde foge
E o que pretende de mim"
(Acontecimentos - Marina Lima/Antonio Cicero)

"Quem sou eu para falar de amor
Se o amor me consumiu até a espinha? (...)
O amor jamais foi meu
O amor me conheceu
Se esfregou na minha vida e me deixou assim"
(Tango de Nanci - Chico Buarque/Edu Lobo)

"Não quero nada
Essa estrada eu já sei aonde vai dar
Vai dar em nada,
Não quero ir, nem voltar"
(Nem bem acordo - Zeca Baleiro)

"Já conheço os passos dessa estrada
Sei que não vai dar em nada
Seus segredos sei de cor
Já conheço as pedras do caminho,
E sei também que ali sozinho,
Eu vou ficar tanto pior
E o que é que eu posso contra o encanto,
Desse amor que eu nego tanto
Evito tanto e que, no entanto,
Volta sempre a enfeitiçar
Com seus mesmos tristes, velhos fatos"
(Retrato em branco-e-preto - Chico Buarque/Tom Jobim)

"It's not fair to deny me
Of the cross I bear that you gave to me
You, you, you oughta know"
(You oughta know - Alanis Morissette/Glen Ballard)

"Enfim, passeia tua boca em mim
Até me calar"
(Melhor lugar - Jorge Vercillo)

"Molha tua boca na minha boca
A tua boca é meu doce, é meu sal
Mas quem sou eu nesta vida tão louca?
Mais um palhaço no teu Carnaval"
(Tema de amor de Gabriela - Tom Jobim)

3 comentários:

Anônimo disse...

Hm, não sei se é a mesma situação, mas eu também tenho a sensação de que minha vida fica num repeat mode on. Pelo menos para mim não é exatamente a mesma coisa (mesmo lugar, mesmas pessoas,etc), o que continua igual são meus sentimentos e o modo de lidar com eles. Daí que as músicas temas são sempre as mesmas (ou quase sempre; às vezes entra uma ou outra nova).
Não vou ver os vídeos agora porque conexão 3G é quase que nem net discada e eu estou rezando pra terminar um download de um jogo (tem 3 chances pra adivinhar qual), mas juro que hei de vê-los!

=***

Meg disse...

ok, pra começar: a Luiza Possi tem uma proporção significante da sua vida e vc teima em não admitir omitindo o nome dela. Freud explica =P, mas analises são chatas. pula.
e pra terminar (eu sendo suuuper breve): se as musicas ganharam um sentido novo é pq alguma coisa mudou =] não é totalmente um repeat.
considere sua vida como acordar, comer, dormir. vc repete diariamente (com exceção das exceções) mas oq tá no meio muda tudo! explicando a analogia (pq comparações ruins precisam), os traços gerais da vida são sempre iguais, vc sempre será uma constante e as situações tendem a se repetir, oq faz diferença mesmo são os detalhes. o sabor do sorvete, a cor da blusa e etc. só muda drasticamente se vc arranjar um emprego noturno.
viu? acabei de provar q voltar pras analogias estraga todo o sentido do texto.
uma música pra terminar de vez:
"Listen as your day unfolds
Challenge what the future holds
Try and keep your head up to the sky" (You Gotta Be - Desree)
pq eu fiquei com inveja e quis me representar ^^

Meg disse...

sorry
grande demais

ah, e eu fiz o teste das cores
umas coisas batiam, umas coisas não batiam e umas coisas eu acho q não batiam mas fiquei com medo pq assustadoramente se pareciam com meu pai e eu poderia estar em negação.