sábado, 26 de setembro de 2009

Sobre os olhos

"Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus resolvem se encontrar
Ah, que bom que isso é, meu Deus
Que frio que me dá
O encontro desse olhar"
(Pela luz dos olhos teus - Tom Jobim/Vinícius de Moraes)


"Foi assim como ver o mar
A primeira vez que meus olhos
Se viram no seu olhar"
(Todo azul do mar - Flávio Venturini)


Eu queria escrever sobre seus olhos. E sobre quando eles me sorriem. E, pensando bem, eu queria poder (saber) escrever sobre tudo o mais: sobre os cabelos, os dentes, os braços, as costas, os pés... E as ideias, as atitudes, as palavras... E sobre este estado quase ridículo de admiração que tudo isso, e mais tantas outras coisas, me causam.
Mas ainda estou, não sei, entorpecida...
Como ao ver o mar Egeu em Mykonos, com inúmeros tons de azul e verde e densamente azul-marinho no fundo (foi lá, aliás, que eu soube exatamente o que era azul-marinho, marinho mesmo). Eu poderia ficar ali olhando, admirada, por dias inteiros.

Queria escrever sobre seus olhos. Mas antes preciso (quero) mergulhar neles mais uma vez. Mais uma vez...

5 comentários:

Meg / Bombs disse...

uma coisa chata sobre as músicas: eu demoro o triplo e tempo pra ler o post, pq músicas são feitas para serem cantadas... não posso evitar ^^
ok, vc queria escrever sobre tudo o mais, mas os olhos ficaram claros o bastante pra mim. além deles serem envolventes, profundos e sorridentes como o mar egeu vc queria mais oq? q tivessem gosto de sorvete? acredite, vc escreveu sobre os olhos xD
mt bem escrito e nem tão pré-adolescente como vc acha. faltou um pouco de rosa, "tipo assim" e gemidos pra ser pré-adolescente =P

tá, parei
bjos

Anônimo disse...

"Intensos, profundos, uma mistura de profano com um toque celestial. Não dá pra descrever... Juro que ainda tento... Mas é tão intenso, tão absurdamente penetrante, sinto-me nua quando me olhas... Juiz de minha alma, único que a enxerga! Olhar quente e frio, alucinado e alucinante, sem explicação... Seu olhar é uma provocação, um teste e por fim é nele que encontro minha perdição! Em meio ao mar de seu olhar, fico perdida, desligada, desnuda, deslumbrada. No meio de minha perdição tu és a salvação..."

Tem algo no olhar que mexe comigo, principalmente no olhar dele, o olhar que não consigo encarar, como se ele fosse algo superior, se ele fosse meu homem mestre e eu simples criatura sob seus olhos, eu sei o que vi quando percebi o seu olhar, sei o que senti, simplesmente não tenho coragem de deixar que ele leia os meus olhos.

Mais uma vez Lí, é como se estivesse lendo algo sobre mim, suas palavras me traduzem, isso é incrível.
Beijos!

Anônimo disse...

Eu perguntei “Por que você me olha assim?” e a resposta veio rápida, simples e verdadeira.

“Porque esse é meu jeito, porque eu sou assim.”

E isso me assustou.

Por que isso mexe tanto comigo?

Alvaro Rosa disse...

Lívia apaixonada???
Gostaria demais de saber quem é o sortudo! hahaha

Lucas Rossi disse...

De fato são as globais/redondas/ovais formas humanas que nos conquistam. Os olhos, os olhares, a mirada, tudo um misto de tentar enteder o outro. São os olhos as possíveis formas de entrar no corpo alheio...mas como ambos querem se adentrar, ficam estasiados e deixam de se entrelaçar... Coisas da vida...