sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Sobre transporte coletivo

Professor: 
-Se você pudesse morar em qualquer lugar do mundo, qual seria?
Colega 1: 
-Paris!
Colega 2:
-New York.
Colega 3: 
-Algum lugar com praia... Floripa, se pá.
Eu: 
-Qualquer lugar, desde que fosse perto do metrô.


#piritubafeelings


***


Eu estava no Tietê e tinha algumas opções de transporte até a minha casa - todas incluindo pelo menos duas baldeações e pelo menos meia hora de ônibus (é, eu moro longe). Resolvi optar pela que parecia fazer menos sentido: Tietê-Ana Rosa. Sim, atravessei a cidade em pouco menos de meia hora pra almoçar perto do Etapa. Dali, eu também tinha algumas opções pra voltar pra casa, sendo que todas levariam pelo menos uma hora até o meu destino. Optei pela que parecia mais demorada, só que mais simples. Peguei, ali mesmo, um ônibus que me deixaria quase na porta de casa - 'quase' porque tenho que enfrentar uma senhora subida, o que não é exatamente inspirador com um sol e um calor destes. Eu podia ter poupado muito suor (mas muito suor MESMO) indo até metade do caminho de metrô, mas achei que não valia a pena: eu ia deixar de ver o trecho que mais gosto, que são os arredores da Paulista, e nem ia conseguir ir sentada no ônibus. Entrei no ônibus, sentei em um lugar onde eu podia sentir o ventinho que entrava pela janela aberta, e fui apreciando o passeio enquanto me desfazia de calor. Eu refaço esse caminho e sinto saudade - não tanto daquele tempo como da companhia. E de algum modo me sinto em casa no meio daquela bagunça da Barra Funda, ou nas catracas da Ana Rosa, tão minhas conhecidas. Mas, claro, nunca é a mesma coisa. Eu ainda passo metade do caminho cantando, mas já não passo tão mal quando leio no ônibus e tenho que recorrer aos SMS sempre que vejo alguma coisa engraçada ou que me lembra alguém. Até a lojinha de doces da Barra Funda já não vende mais doces - virou uma loja de presentes, que nem funciona mais.


***


Sorte é chegar no ponto de ônibus e o HC passar em seguida.
Mesmo assim, acho que podiam investir em melhorar e ampliar as linhas de ônibus existentes, em vez de colocar TV nos ônibus (não é que eu não ache legal ver clipe do Michael Jackson, eu só não acho que isso seja uma prioridade).

2 comentários:

Anônimo disse...

Aí eu sou acostumada a tudo, menos a ter a comodidade de carro. Ando a pé, ando de busão, ando de metrô, e a menos que a distância seja absurda (pelos meus padrões, porque não tenho noção de distância mesmo) prefiro ir a pé. De preferência, de havaianas ou all-star.

E gente, achei que só eu notava essa incoerência da falta de dinheiro pra melhorar o transporte público e ao mesmo tempo colocar TV nos ônibus...

=*

Mah Serafim disse...

é verdade, e quem assiste tv no buzão, quem anda de onibus é pobre que sai pra trabalha cedo e na hora que pega o onibus ta cansado e dorme o trageto inteiro ! auhsuasuhauhsuahs sou dessas !