sexta-feira, 17 de março de 2006

Despertar mais ou menos às 5h15.
Quase uma hora de transporte público na ida.
Carteiras absurdamente desconfortáveis.
Horas e horas de estudo, ao qual eu não estou nem um pouco acostumada.
Mais de uma hora de transporte público na volta.
Preparar lições e speech pro inglês.
Ter energia pra ir pra academia (minha coluna e meus joelhos agradecem quando eu o faço!).

Imagina só, pra quem não fazia absolutamente nada há uma semana, pra quem nunca soube o que era estudar horas a fio, pra quem tinha horas e horas livres, o que significa esse novo ritmo de vida. É o meu caso.
A partir daí, fica fácil imaginar o meu estado. Mal deu 22h e eu já estou caindo de sono - manter os olhos abertos é um desafio. Minha pouca atividade social está ainda mais reduzida. Meus músculos, minha coluna, meus olhos, meu cérebro: está tudo meio inerte, implorando por descanso.

Não que só haja desvantagens. As aulas são fantásticas, gostei muito dos professores, estou conhecendo gente legal, bebendo mais água (*rins muito alegres*), aprendendo a estudar pra valer... E passar por isso com o Fê e a Vani é realmente uma dádiva.
Não tenho mais tanto tempo pra dedicar a outros amigos, que não me acompanham nessa luta diária que é ser vestibulando (ai... saudade de tanta gente!). Estou numa canseira danada. Mas estou feliz com as aulas, com tudo.

Eu chego em casa com aquele ar fatigado, o cansaço estampado no rosto. Mas não é cansaço puro e simples. É uma sensação engraçada - mistura de cansaço com uma ponta de orgulho, de alegria por saber que eu, desta vez, estou me esforçando pra superar minhas próprias expectativas. Ai, isso me deixa tão feliz!!! :oD

Um comentário:

Tata disse...

Mocinha estudienta!!!
Tô com saudades de tu. Fez mó falta ontem no piquenique.... Imagem e Ação, não é Imagem e Ação sem você...
Vim pra deixar um oi... um ooooooooooooooooooooooooooiiiiiiiii!!!
Bem comprido que é pra compensar pelo tempo todo que a gente não se vê.
Meu blog ressucitou... em novo endereço, que quando a gente recomeça o bom é recomeçar do zero.
Beijinhos, Patoka.
=:O)